Seja Dizimista!

Seja Dizimista!

terça-feira, 23 de outubro de 2012

EVANGELHO DO DIA


Evangelho (Lucas 12,35-38)

Terça-Feira, 23 de Outubro de 2012
29ª Semana Comum

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: Que vossos rins estejam cingidos e as lâmpadas acesas. Sede como homens que estão esperando seu senhor voltar de uma festa de casamento, para lhe abrirem, imediatamente, a porta, logo que ele chegar e bater. Felizes os empregados que o senhor encontrar acordados quando chegar. Em verdade, eu vos digo: Ele mesmo vai cingir-se, fazê-los sentar-se à mesa e, passando, os servirá. E caso ele chegue à meia-noite ou às três da madrugada, felizes serão, se assim os encontrar!


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

ESTUDO BÍBLICO


O amigo Neto da CEBI avisa aos que irão participar do Aprofundamento Bíblico na próxima sexta 26/10, que façam uma Leitura atenta dos capítulos 1, 2 e 3 do Livro do Êxodo (segundo Livro da Bíblia), estudo muito importante. 

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Curiosidade: Como os apóstolos morreram?


 

Os doze discípulos - apóstolos eram homens comuns a quem Jesus de Nazaré usou de maneira extraordinária. Pescadores, cobradores de impostos, pastores... O martírio dos apóstolos foi anunciado por Jesus:

- “Por isso, diz também a sabedoria de Deus: Profetas e apóstolos lhes mandarei; e eles matarão uns e perseguirão outros” (Lucas 11.49).

- “E até pelos pais, e irmãos, e parentes, e amigos sereis entregues; e matarão alguns de vós. E de todos sereis odiados por causa do meu nome”(Lucas 21.16-17).

- “Se a mim me perseguiram também vos perseguirão a vós... mas tudo isso vos farão por causa do meu nome” (João 15.19-20). 

- “Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos... eles vos entregarão aos sinédrios e vos açoitarão nas suas sinagogas, e sereis conduzidos à presença dos governadores e dos reis, por causa de mim...” (Mateus 10.16-18).

Esta palavra diz respeito, também, aos crentes de um modo geral. Ainda hoje, anualmente, milhares são martirizados em todo o mundo. Com relação aos sofrimentos e martírio de Paulo, Jesus revelou: “Eu lhe mostrarei quanto deve padecer pelo meu nome” (Atos 9.16). Abro um parêntesis para uma reflexão: o Evangelho pregado em nossas igrejas inclui a possibilidade de sofrimento por amor a Cristo, ou anunciamos somente prosperidade, fartura, longevidade e saúde? Será que poderíamos fazer o que eles fizeram? Será que os atuais fiéis cristãos propagam a mensagem de Jesus de Nazaré da mesma forma que os 12 apóstolos fizeram?

Conheçamos um pouco o chamado dos apóstolos e vejamos como eles morreram:

MATEUS 
Após a ressurreição de CRISTO, ele passou a pregar para os judeus. Fez do seu próprio país seu campo missionário. Apesar disso, morreu na Etiópia, como mártir.Era também chamado de Levi. Cobrador de impostos (, classe muito odiada na época de Jesus, por cobrarem impostos dos judeus para serem entregues às autoridade romanas) nos domínios de Herodes Antipas, em Cafarnaum (Marcos 2.14; Mateus 9.9-13; 10.3; Atos 1.13). Percorreu a Judéia, Etiópia e Pérsia, pregando e ensinando. Há várias versões sobre a sua morte. Teria morrido à espada na cidade de Etiópia.

ANDRÉ 
Esse apóstolo era filho de um pescador da Galiléia de nome Jonas e era irmão de Pedro. Ele vivia em Cafarnaum e era um seguidor de São João Batista antes de ser apresentado a Jesus. Ao vê-lo, reconheceu-o imediatamente como sendo o Messias, e foi o seu primeiro apóstolo. Conta a Lenda que foi para a Grécia e pregou na província de Acaia (província romana que, com a Macedônia, formava a Grécia). Ali se tornou mártir e foi crucificado numa cruz em forma de xis (não foi pregado) para que seu sofrimento se prolongasse. Foi crucificado e da cruz pregou ao povo até morrer. Séculos mais tarde, seus restos mortais foram levados para Escócia. O navio que os transportava naufragou em uma baía que assim foi denominado a Baía de Santo André. André pregou na Grécia e Ásia Menor.  Foi discípulo de João Batista, de quem ouviu a seguinte afirmação sobre Jesus: “Eis aqui o Cordeiro de Deus”. André comunicou as boas notícias ao seu irmão Simão Pedro: “Achamos o Messias” (João 1.35-42; Mateus 10.2).

FILIPE 
Natural de Betsaida, cidade de André e Pedro. Um dos primeiros a ser chamado por Jesus, a quem trouxe seu amigo Natanael (João 1.43-46). Diz-nos Policrates, um cristão que foi Bispo de Éfeso durante o séc. II, que Filipe foi para a Ásia e foi sepultado em Hierápolis. Pregou na Frígia e morreu como mártir em Hierápolis. Foi enforcado de encontro a um pilar em Hierápolis (Frígia, Ásia Menor). 

BARTOLOMEU 
As fontes da Igreja Primitiva são muito confusas quanto a este apóstolo. Diz a lenda que ele foi morto a chicotadas e seu corpo foi colocado num saco, atado e jogado ao mar.  Tem sido identificado com Natanael. Natural de Caná da Galiléia. Recebeu de Jesus uma palavra edificante: “Eis aqui um verdadeiro israelita, em quem não há dolo” (Mateus 10.3; João 1.45-47) Exerceu seu ministério na Anatólia, Etiópia, Armênia, Índia e Mesopotâmia, pregando e ensinando. Foi esfolado vivo e crucificado de cabeça para baixo. Outros dizem que teria sido golpeado até a morte.

SIMÃO 
Seu passado também é muito obscuro, mesmo durante a vida de CRISTO. Existe uma teoria que, por ele ser do partido dos Zelotes e todos os partidários foram massacrados por Roma em 70 d.C.; quando os Zelotes tomaram Jerusalém. O Zelotes foi crucificado. Dos seus atos como apóstolo nada se sabe. Está incluído na lista dos doze, em Mateus 10.4, Marcos 3.18, Lucas 6.15 e Atos 1.13. Julga-se que morreu crucificado. 

TIAGO MENOR 
Pregou na Palestina e no Egito, sendo ali crucificado. Filho de Alfeu (Mateus 10.3). Missionário na Palestina e no Egito. Segundo a tradição, martirizado provavelmente no ano 62. Escreveu uma das epístolas bíblicas. Foi precipitado de um pináculo do templo de Jerusalém ao solo; a seguir, foi atacado por se recusar a denunciar os cristãos, sendo apedrejado até a morte, por ordem do sumo sacerdote Ananias.

JUDAS TADEU 
Foi quem, na última ceia, perguntou a Jesus: "Senhor, por que te manifestarás a nós e não ao mundo?" (João 14, 22-23). Nada se sabe da vida de Judas Tadeu depois da ascensão de Jesus. É autor de uma das cartas do Novo Testamento (Carta de Judas). Diz à tradição que pregou o Evangelho na Mesopotâmia, E dessa, Arábia, Síria e também na Pérsia, onde foi martirizado juntamente com Simão, o Zelote.

JUDAS 
Filho de Simão Escariotes. Ele traiu a Jesus por trinta peças de prata, enforcando-se um dia após entregar Jesus às autoridades judaicas. Tirou sua vida e não acreditou no perdão de Deus. (Mateus 26,14-16; 27:3-5). Vemos duas interpretações para o seu ato: Que ele se enforcou e em outro relato que ele se atirou (Atos 1:18), todavia, Judas perdeu sua vida.

PEDRO
O Primeiro do grupo dos Apóstolos. Pescador, natural de Betsaida. Confessou que Jesus era “o Cristo, o Filho do Deus vivo” (Mateus 16.16). Foi testemunha da Transfiguração (Mateus 17.1-4). Negou Jesus três vezes, mas se arrependeu e entendeu seu verdadeiro chamado. Seu primeiro sermão foi no dia de Pentecostes. Segunda a tradição, sua, por volta do ano 68 d.C., em Roma, a durante a perseguição de Nero aos cristãos, sofreu martírio. Pregou entre os judeus chegando até a Babilônia, esteve em Roma, onde foi crucificado. Pediu para ser crucificado de cabeça para baixo, por achar-se indigno de morrer na mesma posição que seu mestre Jesus de Nazaré. Assim, morreu sufocado com seu próprio sangue.

TIAGO MAIOR 
Natural de Betsaida da Galiléia, pescador (Mateus 4.21; 10.2). Filho de Zebedeu e irmão do também apóstolo João. Eram chamados de Filhos do Trovão, por Jesus. Ele sofreu martírio em 44 d.C., quando Herodes Agripa mandou prender Pedro. Foi decapitado em Jerusalém. Foi o primeiro dos apóstolos a morrer pela fé. A partir dos séculos passou a ser venerado na península Ibérica, sendo o grande protetor contra os mouros (árabes/muçulmanos). A Espanha tornou-o seu patrono, Santiago de Compostela, onde, até hoje, é reverenciado como padroeiro. Sua devoção avançou para a América com as Grandes Navegações e, até hoje, ele é muito cultuado no Chile, México, Peru...

JOÃO
Pescador, filho de Zebedeu (Mateus 4.21 O único que permaneceu perto da cruz - João 19.26-27). Era irmão de Tiago Maior.  O primeiro a crer na ressurreição de Cristo (João 20.1-10). Foi o que viveu mais tempo. Liberto da Ilha de Patmos pelo Imperador Nerva (96 d.C.), regressou a Éfeso e teve morte natural em idade bem avançada. O apóstolo que recebeu de Jesus a missão de cuidar de Maria. “O discípulo que Jesus amava” (João 13.23). A tradição relata que João residiu na região de Éfeso, onde fundou várias igrejas. Na ilha de Patmos, no mar Egeu, para onde foi desterrado, teve as visões referidas no Apocalipse (Ap 1.9). Após sua libertação teria retornado a Éfeso. Foi metido numa caldeira de azeite a ferver, em Roma, mas escapou ileso.Teve morte natural com idade de 100 anos aproximadamente.

TOMÉ 
Dizem que trabalhou na Índia. Outros que nos arredores da Pérsia. A seita "Cristãos Malabores de São Tomé" o considera seu primeiro líder e mártir; alguns historiadores dizem que morreu a flechadas enquanto orava. Só acreditou na ressurreição de Jesus depois que viu as marcas da crucificação (João 20.25). Segundo a tradição, sua obra de evangelização se estendeu à Pérsia (Pártia) e Índia. Consta que seu martírio se deu por ordem do rei de Milapura, na cidade indiana de Madras, no ano 53 da era cristã.

PAULO
Ele não conviveu com Jesus; nem por isso deixou de ser mais importante; pelo contrário, é considerado o responsável pela conversão dos povos gentios e até explanou com os demais apóstolos esta necessidade. Seu nome era Saulo, judeu, um cidadão romano, um soldado e chefe de uma guarnição romana. Perseguiu e matou inúmeros cristãos e, a caminho de uma cidade de Damasco, Deus falou com ele. A partir daquele dia sua vida mudou e seu nome passou a ser Paulo, aquele que é o menor entre todos. Pouco tempo depois já estava atuando com os discípulos.  Enfrentou uma rejeição no início, pois o viam ainda como um perseguidor,  mas o tempo foi o maior aliado, pois se tornou um dos primeiros missionários. Morreu como mártir sendo decapitado no mesmo ano de Pedro e pelo mesmo motivo, mas em ocasiões diferentes. Não era apóstolo oficialmente, pois não foi um dos escolhidos de Jesus, foi considerado apóstolo dos gentios por causa da sua grande obra missionária nos países gentílicos. Ele foi um dos primeiros a ver que não só os judeus poderiam ser batizados, mas todos: gregos, romanos, egípcios... Assim, ele acreditava que não só os judeus podiam ser batizados e se tornarem cristãos. Escreveu várias cartas para as localidades por onde passava. Foi decapitado em Roma por ordem do imperador Nero. 

LUCAS 
Era médico. Não conheceu Jesus pessoalmente. Recolheu inúmeros relatos (principalmente dos apóstolos) e escreveu seu Evangelho. Notamos uma linguagem mais rebuscada, com termos relatos mais profundos. Vemos uma atenção especial para com a infância de Jesus. Ele também escreveu o Ato dos Apóstolos. Foi enforcado em uma oliveira na Grécia. 

MATIAS
Escolhido para substituir Judas Iscariotes. Diz-se que exerceu seu ministério na Judéia, Alexandria e Macedônia. Teria sido martirizado na Etiópia.

TADEU
Não há relatos sobre a sua morte.

Por: Juberto Santos

22 DE OUTUBRO - JOÃO PAULO II



O dia que a Igreja definiu oficialmente para celebrar o Beato João Paulo II é dia 22 de outubro. Fazemos memória a esse grande homem de nossa época.

Primeira Paróquia no Brasil dedicada em honra do Beato João Paulo II

A Arquidiocese de Juiz de Fora (MG) vai ter a primeira paróquia do Brasil, autorizada pela Santa Sé, a ter como padroeiro o Beato João Paulo II.

No dia 22 de outubro o arcebispo metropolitano, Dom Gil Antônio Moreira, oficializará a criação da Paróquia Beato João Paulo II.

Decreto de autorização do Vaticano:

Em junho de 2011, Dom Gil Moreira fez o pedido ao Vaticano para criar uma paróquia dedicada a João Paulo II. A resposta positiva da Congregação Para o Culto Divino e Disciplina de Sacramentos, instância do Vaticano que cuida desses processos, veio no dia 1º de julho.

De acordo com as normas da Igreja, a veneração a um beato é restrita, ou seja, não é toda paróquia que pode celebrar a festa, apenas aquela que o tem como padroeiro. Assim, o responsável pela paróquia, padre João Francisco Batista, acredita que o olhar de todo o Brasil vai se voltar para a cidade. “É um privilégio para a Arquidiocese conseguir prestar esse culto à sua memória”, finaliza o religioso.

O Beato João Paulo II foi beatificado na manhã de 1º de Maio de 2011, por Sua Santidade, o Papa Bento XVI em cerimônia que acolheu mais de um milhão de pessoas no Vaticano.

“Concedemos que o venerável servo de Deus, João Paulo II, papa, de agora em diante, seja chamado de beato e seja celebrado no dia 22 de outubro.”

Eis a versão portuguesa da Oração Coleta da liturgia da missa de João Paulo II:

Ó Deus, rico de misericórdia, 
que escolhestes o beato João Paulo II 
para governar a Vossa Igreja como papa,
concedei-nos que, instruídos pelos seus ensinamentos, 
possamos abrir confiadamente os nossos corações
à graça salvífica de Cristo, único Redentor do homem.
Ele que convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo, por todos os séculos dos séculos. Amém!

ROMARIA DA JUVENTUDE - 28 DE OUTUBRO


PEREGRINAÇÃO DA IMAGEM DE SÃO SEBASTIÃO

Dando prosseguimento hoje a caminhada com a imagem de nosso padroeiro São Sebastião pelos lares de devotos de nossa cidade, colocamos abaixo as residências que a imagem visitará essa semana, confiram:


- Segunda: Dona Lourdes - Rua Benjamin Constant (Leandro Bezerra)
- Terça: Estelita Emília - Rua Eugênio Fernandes (Leandro Bezerra)
- Quarta: Francisca Cosme - Rua Ubaldo Fernandes (Leandro Bezerra)
- Quinta: Terezinha de Raimundo Clemente - Rua Ubaldo Fernandes (Leandro Bezerra)
- Sexta: Rita Maria - Rua Ismael Siqueira (Leandro Bezerra)


SEMANA DO DÍZIMO


Diocese de Santa Luzia de Mossoró-RN
Paróquia de São Sebastião de Caraúbas-RN

Semana do Dízimo
De 21 a 28 de Outubro
 “Amor a Deus, comunhão com a Igreja”

Foi aberta ontem, 21/10, a Semana do Dízimo na paróquia de Caraúbas/RN e hoje tem prosseguimento com a Celebração Eucarística na Capela de Nossa Senhora da Conceição.

P R O G R A M A Ç Ã O

·         21 de Outubro – Abertura
8h – Missa na Igreja Matriz
19hs – Missa na Igreja Matriz

·           22 de Outubro (Segunda-feira)
Capela Nossa Senhora da Conceição
19hs

·           23 de Outubro (Terça-feira)
Capela de Santo Antônio
19hs

·           24 de Outubro (Quarta-feira)
Capela Nossa Senhora de Fátima
19hs

·           25 de Outubro (Quinta-feira)
Capela Nossa Senhora da Saúde
(São Geraldo) – 19hs

·           26 de Outubro (Sexta-feira)
Capela do Sagrado Coração de Jesus
(Cachoeira) – 19hs

·           27 de Outubro (Sábado)
Capela de Nossa Senhora do Carmo
19hs

·           28 de Outubro (Domingo)
Encerramento – Igreja Matriz
8hs e 19hs

9ª Visita Pastoral em Areia Branca de 21 a 04 de novembro 2012




O Bispo Diocesano Dom Mariano Manzana e a equipe diocesana permanecerão no município durante o período de 21 de outubro a 04 de novembro. Os vigários da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, padre Luiz Sampaio e padre Pedro Lapo, e sua equipe se empenharam na montagem de uma programação especial para que Dom Mariano possa percorrer a maioria das capelas e ter contato com o Povo de Deus.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Dom Mariano Manzana celebra 8 anos como Bispo na Diocese de Mossoró



 Dom Freire e Dom Mariano em Trento

Nesta quarta-feira, 17, o Bispo Diocesano, Dom Mariano Manzana, comemorou 8 anos de Ministério Episcopal. Em 05 de setembro de 2004 , foi nomeado bispo da Diocese de Mossoró (RN). A Sagração aconteceu na Catedral de Trento, na Itália.
Dom Mariano iniciou seu ministério na nossa Diocese no dia 17 de setembro de 2004, quando tomou posse em solene celebração na Catedral de Santa Luzia como sexto bispo. Seu lema episcopal é "Chistus ad Gentes" (Cristo para todos).. À frente da nossa diocese implantou inúmeros projetos: Santas Missões Populares, Seminário Maior, Faculdade Diocesana de Mossoró, criação de 12 paróquias, Renovação da Rádio Rural de Mossoró, ordenação de mais de quinzes padres, envio de padres e seminaristas para pós-graduação em Roma e tantas outras coisas.
Essa data especial deve ser comemorada com muita alegria, pois são anos de dedicação à Igreja. Parabéns, Dom Mariano, por essa comemoração. Agradecemos a Deus por estarmos ao seu lado durante esse momento importante de sua vida e pedimos a Ele que derrame suas bênçãos sobre sua vida e que a Virgem de Siracusa ilumine muito essa caminhada junto à Igreja.





Uma missa em ação de graça foi celebrada ontem, dia 17, às 17h na catedral de Santa Luzia marca a Sagração Episcopal de Dom Mariano Manzana. A missa foi presidida por Padre Francisco Crisanto com transmissão da Rádio Rural de Mossoró.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

terça-feira, 16 de outubro de 2012

DIA DE FINADOS


Comunicamos que já estamos pegando o nome dos Fiéis Finados para serem lidos na Santa Missa do dia 02 de novembro, às 19h, em frente à Capela de Nossa Senhora do Carmo.

Você contribui R$ 5,00 por cada intenção.

Bento XVI abre oficialmente o Ano da Fé



O Papa Bento XVI durante celebração eucarística que abriu oficialmente o Ano da Fé
O Papa Bento XVI abriu oficialmente o Ano da Fé com uma Santa Missa realizada no Vaticano na manhã desta quinta-feira, 11. A proposta do Pontífice é que este seja um tempo de reflexão para que fiéis católicos de todo o mundo possam redescobrir os valores da sua fé. O Ano da Fé prossegue até o dia 24 de novembro de 2013. 

No dia em que também se comemoram os 50 anos do início do Concílio Vaticano II, o Papa presidiu a celebração eucarística com a participação de 400 concelebrantes. Entre eles, estavam alguns brasileiros, como o cardeal arcebispo de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno Assis, que também é presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.

Fazendo memória ao jubileu de ouro do Concílio, um acontecimento que marcou a vida da Igreja, o Papa explicou que a celebração foi enriquecida com alguns sinais específicos. A procissão inicial quis lembrar a procissão dos Padres conciliares, houve a entronização do Evangeliário, que é uma cópia daquele utilizado durante o Concílio e a entrada das sete mensagens finais do Concílio e do Catecismo da Igreja Católica.

“Estes sinais não nos fazem apenas recordar, mas também nos oferecem a possibilidade de ir além da comemoração. Eles nos convidam a entrar mais profundamente no movimento espiritual que caracterizou o Vaticano II, para que se possa assumi-lo e levá-lo adiante no seu verdadeiro sentido”, disse.

O Papa explicou que o Ano da Fé está em coerência com todo o caminho da Igreja nos últimos 50 anos, desde o Concílio, passando pelo Magistério do Servo de Deus, Paulo VI até chegar ao Jubileu do ano 2000, em que o Bem-Aventurado João Paulo II propôs à humanidade Jesus Cristo como único Salvador.

“Jesus é o centro da fé cristã. O cristão crê em Deus através de Jesus Cristo, que nos revelou a face de Deus”, enfatizou o Papa. Ele lembrou que, como diz o Evangelho do dia, Jesus Cristo é o “o verdadeiro e perene sujeito da evangelização”.

Por que ter um Ano da Fé?

Ainda na homilia, o Papa Bento XVI explicou que a Igreja proclama um novo Ano da Fé não para “prestar honras a uma efeméride”, mas sim porque é necessário, mais ainda do que 50 anos atrás.

Isso porque nos últimos decênios o Papa lembrou que se tem visto o avanço de uma “desertificação” espiritual, um vazio que se espalhou. Mas estas situações, de acordo com o ele, permitem redescobrir a alegria e a importância de crer.

“No deserto é possível redescobrir o valor daquilo que é essencial para a vida; assim sendo, no mundo de hoje, há inúmeros sinais da sede de Deus, do sentido último da vida, ainda que muitas vezes expressos implícita ou negativamente”.

Dessa forma, Bento XVI explicou que o modo de representar este Ano da Fé é como uma peregrinação nos desertos do mundo contemporâneo, em que se deve levar apenas o essencial. “... nem cajado, nem sacola, nem pão, nem dinheiro, nem duas túnicas - como o Senhor exorta aos Apóstolos ao enviá-los em missão (cf. Lc 9,3), mas sim o Evangelho e a fé da Igreja, dos quais os documentos do Concílio Vaticano II são uma expressão luminosa, assim como é o Catecismo da Igreja Católica, publicado há 20 anos”.

Concílio Vaticano II

Sobre o Concílio, Bento XVI destacou que seu objetivo não foi colocar a fé como tema de um documento específico. No entanto, ele explicou que o Concílio foi animado pela consciência e pelo desejo de “imergir mais uma vez no mistério cristão, para poder propô-lo novamente e eficazmente para o homem contemporâneo”.

O Santo Padre também enfatizou que numa ocasião como esta de hoje, o mais importante é reavivar na Igreja aquele desejo ardente que se teve no Concílio de anunciar novamente Cristo ao homem contemporâneo.

“Mas para que este impulso interior à nova evangelização não seja só um ideal e não peque de confusão, é necessário que ele se apóie sobre uma base concreta e precisa, e esta base são os documentos do Concílio Vaticano II, nos quais este impulso encontrou a sua expressão”. 

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Mártires de Cunhaú e Uruaçú ou Protomártires do Brasil




Mártires de Cunhaú e Uruaçú ou Protomártires do Brasil, é o título dado aos 30 cristãos martirizados, no interior do Rio Grande do Norte, no contexto das Invasões holandesas no Brasil. Foram dois morticínios, o primeiro na Capela de Nossa Senhora das Candeias, no Engenho Cunhaú, municípios de Canguaretama; outro em Uruaçú, comunidade do município de São Gonçalo do Amarante. Foram Beatificados pelo Papa João Paulo II em 5 de março de 2000.

MASSACRE DE CUNHAÚ

O primeiro engenho construído no Rio Grande do Norte, foi palco de uma grande chacina, uma das mais trágicas histórias do Brasil. Era o ano de 1645, o estado do Rio Grande (Católico), era, dominado pelos holandeses (calvinista), Jacob Rabbi um alemão a serviço do governo holandês, ele chegou em Cunhaú no dia 15 de julho de 1645, mas já era conhecido pelos moradores, pois, já havia passado por lá, sempre escoltado pelas tropas dos índios Tapuias, sempre deixando ódio, e destruição por todo lugar que ele passava, nesse dia ele veio com mais força. Além dos Tapuias, trazia alguns Potiguares e soldados holandeses. Era Domingo, dia 16 de julho de 1645, como de costume os fiéis se reuniram para celebrar a Eucaristia, foram para Missa na Igreja de Nossa Senhora das Candeias, mais Jacob Rabbi já havia fixado um edital na porta da igreja, que, após a missa haveria algumas ordens do governo holandês. O PárocoPadre André de Soveral, começa a missa, depois do momento da elevação, do Corpo e Sangue de Cristo, as portas da Capela foram fechadas, e se deu início as cenas de violência, intolerância e atrocidade. Ao verem que iriam ser mortos pelas tropas, os fiéis não reagiram, ao contrário, 'entre mortais ânsias se confessaram ao sumo sacerdote Jesus Cristo, pedindo-lhe, com grande contrição, perdão de suas culpas", enquanto o Pe. André estava 'exortando-os a bem morrer, rezando apressadamente o ofício da agonia".

MASSACRE DE URUAÇÚ

Em 03 de Outubro de 1645, três meses depois do massacre de Cunhaú, aconteceu outro desta vez em Uruaçú, este também a mando de Jacob Rabbi. Dizem os Cronistas que, logo após o primeiro massacre, o medo se espalhou pela Capitania e por outras capitanias, a população ficou receosa, pois, tinha medo que novos ataques acontecessem, o que não demorou muito. Foram cenas idênticas, apesar que neste massacre as tropas usaram mais crueldade. Depois da elevação, fecharam as portas da igreja e os mataram ferozmente, arrancaram suas línguas para não preferirem orações católicas, braços e pernas foram decepados, crianças foram partidas ao meio e grande parte dos corpos foram degolados.O Celebrante, Padre Ambrósio Francisco Ferro mesmo vivo foi muito torturado. Também arrancaram o Coração do camponês Mateus Moreira, mesmo arrancando seu Coração Mateus Moreira exclamou: "Louvado seja o Santíssimo Sacramento".