Seja Dizimista!

Seja Dizimista!

sexta-feira, 30 de março de 2012

Parabéns!!!

Diogo Deveson - Aprovado para Filosofia na UERN 2012

Em nome do Padre Francisco das Chagas e de todos que fazem a paróquia de Caraúbas queremos parabenizar o jovem Diogo Deveson da Silva que foi aprovado no vestibular da UERN para o curso de Filosofia. O seminarista Diogo é filho do renomado poeta caraubense Damião da Silva e atualmente está residindo no Seminário de Santa Teresinha em Mossoró-RN.

Programação da Semana Santa 2012


Semana Santa – 2012
Programação

Domingo de Ramos: (01/04)
7h – Bênção dos ramos (Em frente ao Posto de Saúde/ Por trás do Santuário);

Terça – Igreja Matriz: (03/04)
19h – Celebração da Misericórdia;

Quarta – Igreja Matriz: (04/04)
19h – Adoração ao Santíssimo;

Quinta – Igreja Matriz: (05/04)
19h – Missa da Ceia do Senhor;

Sexta – Igreja Matriz: (06/04)
15h – Celebração da Paixão e Morte do Senhor
(Em seguida a Procissão do Senhor Morto)
  
Sábado – Igreja Matriz: (07/04)
20h – Vigília Pascal
(Em seguida a Missa da Ressurreição)

Domingo – Igreja Matriz: (08/04)
19h – Segunda Missa da Ressurreição

quinta-feira, 29 de março de 2012

Coleta Solidária objetiva arrecadar recursos em apoio a projetos sociais

                                                 Ana Clébia, Dom Mariano, Dr Cure e Neuzo Leite 

Durante a Campanha da Fraternidade, a Igreja Católica realiza uma ação chamada Coleta da Solidariedade. A iniciativa é realizada sempre no Domingo de Ramos, que neste ano será o dia 1º de abril. Desta vez, a Diocese de Santa Luzia de Mossoró destinará parte das doações à Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer (LMECC).
O bispo diocesano dom Mariano Manzana explica que a Campanha da Fraternidade é um grande movimento e que desde 1964 a Igreja no Brasil colocou a iniciativa em busca de ampliar a fraternidade entre as pessoas.
"Por isso que a cada ano é discutido um assunto para tirar os pontos que entravam na fraternidade. No início eram temas da igreja, depois vieram temas mais sociais e agora grandes problemas em nível nacional, como: violência pública, poluição da água, desmatamento e agora é a vez da fraternidade e saúde pública", revela dom Mariano.
De acordo com o bispo, o objetivo da Campanha é conscientizar desde os problemas que envolvem os macrossistemas de saúde, até a participação de cada um nesse processo de garantia da saúde. "Porque além das questões de gestão pública com financiamentos, é preciso cada pessoa saber seu papel na garantia da saúde pública. Onde atualmente é mais importante prevenir e esses esforços não se restringem aos governos. É aí que entra a participação e ação da Igreja nas macros e pequenas iniciativas", destaca.
Dom Mariano enfatiza que para desempenhar um gesto concreto durante a Campanha da Fraternidade, a Igreja promove a Coleta da Solidariedade, que visa arrecadar recursos destinados aos programas sociais.
"Essa ação ajuda a concretizar e mostrar de forma concreta a importância da participação da sociedade. A coleta é feita em todo o Brasil, que coincide com a Coleta de Domingo de Ramos, início da Semana Santa. Tudo o que é recolhido nas igrejas e capelas é dividido. Metade vai para o Fundo Nacional administrado pela CNBB e outra metade fica na Diocese", explica.
Segundo o bispo, os recursos que ficam sob administração da Diocese são utilizados para concretizar um gesto. "Este ano, vamos entregar o dinheiro arrecadado à Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer, entidade que tem uma iniciativa muito importante, que beneficia milhares de oestanos no momento de combate e prevenção do câncer", afirma dom Mariano.
No ano passado, a Diocese de Mossoró arrecadou R$ 30 mil em doações durante a Coleta Solidária, sendo que R$ 15 mil foram empregados na implantação da Pastoral da Pessoa Idosa nas paróquias diocesanas.

Fonte; O Mossoroense

terça-feira, 27 de março de 2012

Coleta da solidariedade – Campanha da Fraternidade na luta contra o câncer.

Imagem da Internet.

Durante a Campanha da Fraternidade, a Igreja realiza a chamada coleta da solidariedade. É realizada sempre no Domingo de Ramos, que neste ano será dia 01 de abril. Toda a coleta é destinada a programas sociais. 40% é destinado para o Fundo Nacional administrado pela CNBB; 10% para o regional NE II, e os outros 50% permanecem na diocese e devem ser aplicados em ações sociais locais, que atuem nas áreas refletidas pela campanha da Fraternidade. Neste ano, a coleta será oferecida pelo Bispo Diocesano, Dom Mariano, ao Centro de Radioterapia, futuro hospital do câncer de Mossoró. Você é convidado a dar este testemunho de fé cristã, unindo-se à diocese num gesto de solidariedade em favor da dignidade da Vida. Cf -2012 na luta contra o câncer.

O sacramento da unção dos enfermos


Une intimamente o doente a Cristo

No ritual da unção dos enfermos encontra-se a seguinte petição a Deus: “Por esta santa unção e pela Sua infinita misericórdia, o Senhor venha em teu auxílio com a graça do Espírito Santo, para que, liberto dos teus pecados, Ele te salve e, na Sua misericórdia, alivie os teus sofrimentos”. Esta oração contém o objeto central desse sacramento, ou seja, confere a ele uma graça especial que une mais intimamente o doente a Cristo.

Jesus veio para revelar o amor de Deus. Frequentemente faz isso nas áreas e situações em que nos sentimos especialmente ameaçados em função da fragilidade de nossa vida, devido às doenças, morte, etc.. Deus Pai quer que nos tornemos saudáveis no corpo e na alma e reconheçamos nisso a instauração do Reino d'Ele. Por vezes, só com a experiência da enfermidade percebemos que precisamos do Senhor mais do que tudo. Não temos vida, a não ser em Cristo. Por isso os doentes e os pecadores têm um especial instinto para perceber o que é essencial.

No Antigo Testamento, o homem doente experimenta os seus limites e, ao mesmo tempo, percebe que a doença está ligada misteriosamente ao pecado. Os profetas intuíram que a enfermidade poderia ter também um valor redentor em relação aos próprios pecados e aos dos outros. Assim, a doença era vivida diante de Deus, do qual o homem implorava a cura. No Novo Testamento eram os enfermos que procuravam a proximidade de Jesus, procurando “tocá-Lo, pois d'Ele saía uma força que a todos curava” (Lc 6,19). A compaixão de Jesus Cristo pelos doentes e as numerosas curas de enfermos são um claro sinal de que, com Ele, chegou o Reino de Deus e a vitória sobre o pecado, o sofrimento e a morte. Com a Paixão e Morte o Senhor dá um novo sentido ao sofrimento, o qual, se for unido ao d'Ele, pode ser meio de purificação e de salvação para nós e para os outros.

A Igreja, tendo recebido do Senhor a ordem de curar os enfermos, procura pôr isso em prática com os cuidados para com os doentes, acompanhados da oração de intercessão. Ela possui, sobretudo, um sacramento específico em favor dos enfermos, instituído pelo próprio Cristo e atestado por São Tiago: «Quem está doente, chame a si os presbíteros da Igreja e rezem por ele, depois de o ter ungido com óleo no nome do Senhor» (Tg 5,14-15).

Desta forma, o sacramento da unção dos enfermos pode ser recebido pelo fiel que começa a se sentir em perigo de morte por doença ou velhice. O mesmo fiel pode recebê-lo também outras vezes se a doença se agravar ou então no caso doutra enfermidade grave. A celebração desse sacramento, se possível, deve ser precedida pela confissão individual do doente. A celebração deste sacramento consiste essencialmente na unção com óleo benzido, se possível, pelo bispo, na fronte e nas mãos do enfermo (no rito romano, ou também noutras partes do corpo segundo outros ritos), acompanhada da oração do sacerdote, que implora a graça especial desse sacramento. Ele só pode ser administrado pelos sacerdotes (bispos ou presbíteros).

Este sacramento confere uma graça especial que une mais intimamente o doente à Paixão de Cristo, para o seu bem e de toda a Igreja, dando-lhe conforto, paz, coragem, e também o perdão dos pecados, se ele não puder se confessar. E consente, por vezes, se for a vontade de Deus, também a recuperação da saúde física do fiel. Em todo o caso, essa unção prepara o enfermo para a passagem à Casa do Pai. Por isso, concede-lhe consolação, paz, força e une profundamente a Cristo o doente que se encontra em situação precária e em sofrimento. Tendo em vista que Senhor passou pelas nossas angústias e tomou sobre Si as nossas dores.

Muitos doentes têm medo desse sacramento, e adiam-no para o fim, porque pensam se tratar de uma espécie de “sentença de morte”. No entanto, é o contrário disso: a unção dos enfermos é uma espécie de “seguro de vida”. Quem, como cristão, acompanha um enfermo deve libertá-lo desse falso temor. A maior parte das pessoas que está em risco de vida tem a intuição de que nada mais é importante nesse momento do que a confiança imediata e incondicional Àquele que superou a morte e é a própria Vida: Nosso Senhor Jesus Cristo, nosso Salvador.

segunda-feira, 26 de março de 2012

Aniversário - Parabéns!!!!

 

Queremos parabenizar em nome dos que fazem a paróquia de São Sebastião de Caraúbas o seminarista Gláudio Fernandes Costa. Ele que está completando mais um ano de vida hoje, cursa Teologia na Faculdade Diocesana e reside no Seminário de Santa Teresinha em Mossoró/RN.

Parabéns e que São Sebastião te cubra de bênçãos durante toda a sua vida...

Artigo - Pe. Zezinho SCJ

FILHO ESTRAGADO


Era um santo casal, daqueles de vida ilibada, dos quais para encontrar algum defeito você teria que pesquisar com microscópio. Amigos diziam que nunca haviam visto ninguém tão de Deus quanto este casal; quarenta anos de casados e nenhum filho; resolveram adotar.
O menino veio bom mais foi se tornando problemático. Entre o menino de 6 anos, adotado do orfanato e o filho que se tornou, a diferença foi abissal. O rapaz casou-se, mas vivia de falcatrua em falcatrua, de cadeia em cadeia. Os dois filhos que tivera, praticamente não o conheceram, porque Tony, este o seu nome, passava mais tempo preso do que na rua. Pequenos furtos, pequenas transgressões, mas freqüentes e constantes.
O Frank, esse era o nome do pai, orava e fazia sacrifícios pela conversão do filho adotado. A mãe Mary, calma, serena, orava muito dizendo que um dia ele mudaria. A esposa do rapaz veio morar na casa dos sogros com as crianças porque ele não tinha como mantê-las.
Cansada, depois de 12 anos, Lucy resolveu divorciar-se de Tony. Não tinha como esperar. Frank e Mary lhe deram uma casa perto da deles para ficarem perto dos netos, até porque a tinham como filha. Ele continuou nas falcatruas: cheque sem fundo, roubo de carro, muambas, bebidas e drogas.
Frank já com grave problema de lesão muscular e sofrendo de artrite e dores atrozes, cultivava morangos. Com o dinheiro ajudava as obras vocacionais de uma congregação que ordenou um sacerdote na Venezuela. Eu fui um dos beneficiados, porque parte dos meus estudos nos Estados Unidos foram do dinheiro dele.
Passava o tempo na oficina fazendo pequenos brinquedos para as crianças pobres. Santo casal ferido na alma, um dia ele me perguntou se o filho não se converteria. Afinal, ele e a esposa faziam tanto sacrifício, praticavam tanta bondade e tinham aprendido na igreja que esmolas apagam uma multidão de pecados… Será que todo aquele sacrifício não ajudaria a pagar a multidão de pecados do filho Tony?
Como explicar o mistério do bem e do mal, quando o bem perdeu, perdeu e perdeu? Não é que ele estivesse desanimado: iria até o fim, mas queria saber como Deus aplicaria tudo aquilo em favor do Tony.
Expliquei o que sabia sobre o mistério do bem e do mal e como ensina a igreja Católica. Falei sobre o mistério da graça, da liberdade humana, dos condicionamentos humanos, da culpabilidade e das pessoas vitimas de impulsos descontrolados. Falei lhe dos mecanismos da vontade humana e do mistério que há nesse mecanismo, pois não se aplica a duas pessoas da mesma maneira. Lembrei, então, as pessoas que ele ajudou e todas as crianças beneficiadas pelo seu trabalho, além do bem que ele fizera à sua nora e suas netas.
O caso do Tony ele até que entendia, mas o rapaz não tinha forças para largar aquela vida. Mas ponderou:
- “Nada exijo. Nem cobro de Deus, que converta meu filho. Eu só peço que ele me ilumine para que eu saiba fazer o melhor. Não perco a esperança e não perco a misericórdia. Mas fracassei com ele. Adotei um menino na esperança de torná-lo mais pessoa e não consegui.
E eu lhe retruquei.
- “Ele é quem não conseguiu! Você jogou a corda, mas ele não a agarrou. A correnteza foi mais forte. Lembram-se da Buick que você disse que tinha? Era um lindo carro, dentro dos cinco que você já teve. Mas foi o que mais trabalho lhe deu. Tinha alguma coisa no motor que sempre encrencava. Mas você nunca jogou o carro fora. Está lá na loja, menos útil que os outros, mas tem uma história”.
Concluí: “-O Tony tem alguma coisa no motor. Ele ainda não morreu, e tem menos de 30 anos; quem sabe, um dia, ele aparecerá de motor novo. Agora ele é um desmotivado. O defeito não está nem no motorista, nem no mecânico: está nele. Não se pode culpar o mecânico toda vez que algum motor falha. Ela pode ser estrutural. No caso do Tony teremos que perguntar para Deus o que houve com aquela cabeça.
Bem e o mal são mistérios, os bons e os maus também … O Tony não é mau; só não consegue ser bom como deveria. Frank e Mary choraram e eu também, mas até hoje me pergunto como é que, depois de trinta anos, ás vezes, cinqüenta anos de bondade dos pais, um filho continua mau.
Dias atrás, um filho tentou matar a mãe e um neto esfaqueou a avó. Droga no nariz a nas veias. E eu me fiz a mesma pergunta. Não sei se um dia todo mundo será bom, mas luto e oro para que, um dia, os maus sejam poucos, muito poucos. É a isso que dedico o meu trabalho e a minha fé.

Papa Bento 16 visita México e Cuba

Papa

O papa Bento XVI se deixou seduzir pela simpatia 
do povo mexicano e aceitou colocar um sombrero 
neste domingo quando andava de papamóvel a caminho 
do altar onde realizou uma missa em Silao, centro do 
México. Sorridente, o Papa pegou o sombrero entregue 
por um fiel na eucaristia e o usou durante o 
percurso de vários metros, tirando o acessório quando 
chegou ao altar.

Fonte: Sociedade Ativa

Missa com Oração de Cura e Libertação

 

quinta-feira, 22 de março de 2012

Diocese em Dia



Trimestral de Pastoral - Juventude será tema de Assembléia
Começa amanhã a I Assembléia Trimestral de Pastoral de 2012, abordando a temática da juventude, sob vários enfoques: diversidade, igreja, novas mídias e a morte. Serão várias oficinas funcionando simultaneamente durante a assembléia, discutindo vários aspectos que envolvem a juventude. O encontro acontecerá no Centro de Treinamento Libânea Lopes Pessoa. A previsão é começar as 9h , e terminar com o almoço de amanhã, sábado 24. Uma das finalidades desta Assembléia é mobilizar e preparar toda a Diocese para a Jornada Mundial da Juventude que deverá acontecer em 2013, na Arquidiocese do Rio de Janeiro. Participam da Assembléia, o clero, os representantes das paróquias, pastorais e movimentos da diocese. Entre os assessores, estão os Pe. Gimerson , o Pe. Tadeu, e o Pe. Augusto Lívio. 

segunda-feira, 19 de março de 2012

Quaresma é tempo de ouvir Deus e esmagar tentações, destaca Papa

 

Nesta 4º Domingo de Quaresma, 18, o Papa Bento XVI fez a oração do Angelus aos fiéis e peregrinos reunidos na Praça São Pedro, destacando que a Quaresma é um caminho com Jesus através do ‘deserto’, isto é, “um tempo para escutar mais a voz de Deus e também esmagar as tentações que falam dentro de nós”. 
Ao horizonte deste deserto, salienta o Papa, se aproxima a Cruz. “Jesus sabe que essa é o auge de sua missão: de fato, a Cruz de Cristo é o ápice do amor, que nos doa a salvação”, reforça. 
“Pois Deus não enviou o Filho ao mundo para condená-lo, mas para que o mundo seja salvo por ele”, diz o Evangelho de João (3,17). Santo Agostinho explica que assim como o médico vem para salvar o doente, e aquele que não segue sua prescrição se arruína sozinho, Jesus Cristo veio ao mundo e, assim, quem não quer ser salvo por Ele será julgado por si mesmo.
“Assim, se infinito é o amor misericordioso de Deus, que chegou ao ponto de dar seu Filho único em resgate a nossa vida, grande é também a nossa responsabilidade: cada um, de fato, deve reconhecer que é doente, para poder ser curado; cada um deve confessar o próprio pecado, para ter o perdão de Deus, já doado sobre a Cruz, possa ter efeito sobre seu coração e sobre sua vida”, ressalta o Santo Padre.
Bento XVI destaca que às vezes o homem ama mais as trevas que a luz, porque é atacado por seus pecados. Mas somente abrindo-se à luz, somente confessando sinceramente as próprias culpas a Deus, que se encontra a verdadeira paz e a verdadeira alegria.
Viagem ao México e Cuba
No fim da oração do Angelus, o Pontífice pediu que os fiéis rezassem por sua viagem ao México e Cuba que começará na sexta-feira, 23.
“Confiamos esta viagem à intercessão da Beata Virgem Maria, tão amada e venerada nestes dois países que vou visitar”, disse. 

Comitiva caraubense participa da III Romaria dos Vaqueiros - Patu/Lima

 Comitiva caraubense que prestigiou o evento



Uma comitiva caraubense prestigiou neste último final de semana a III Romaria dos Vaqueiros que aconteceu no Santuário de Nossa Senhora dos Impossíveis - Lima - Patu/RN. A comitiva contou com a participação do casal Didi e Edilma, coordenadores da Cavalgada de São Sebastião aqui em nossa paróquia e de outros vaqueiros de nossa cidade.

Igreja Ortodoxa Copta - Entenda mais...

Ficheiro:Chuck Kennedy - The Official White House Photostream - P060409CK-0199 (pd).jpg 

Igreja Ortodoxa Copta, de acordo com a tradição, foi estabelecida pelo apóstolo São Marcos no Egito em meados do século I (aproximadamente no ano 60). É uma Igreja não-calcedoniana, isto é, uma Igreja cristã que não está em comunhão com a Igreja Ortodoxa nem com a Igreja Católica.
É a Igreja cristã nacional do Egipto (Copta significa egípcio) e uma das igrejas orientais mais antigas do mundo. Até 2012, era governada pelo seu falecido líder (o Papa Shenouda III), juntamente com o seu Sínodo.
Os primeiros cristãos no Egipto eram principalmente judeus de Alexandria, tais como Teófilo, a quem São Lucas dirige o capítulo introdutório do seu evangelho. Quando a Igreja foi fundada por São Marcos, durante a época do imperador romano Nero, um grande número de egípcios, contrariamente a gregos e judeus, abraçou a fé cristã. Esta espalhou-se pelo Egipto em poucas décadas, tal como se pode verificar nos escritos do Novo Testamento encontrados em Bahnasa, no Egipto Médio, e que datam de cerca do ano 200, e de um fragmento do Evangelho segundo São João, escrito em língua copta, encontrado no Egito Superior e datado da primeira metade do século II

Concílio de Niceia

No século IV um presbítero vindo do que é hoje a Líbia, chamado Arius, iniciou uma discussão teológica sobre a natureza de Jesus Cristo que se espalhou por toda a Cristandade. O Concílio de Niceia (325), convocado pelo imperador Constantino para resolver a questão levou à formulação do Credo de Niceia, ainda hoje recitado por todos os cristãos, e cujo autor é Santo Atanásio.

Concílio de Calcedónia

Após o Concílio de Calcedónia (451), as igrejas não-calcedonianas (incluindo a Igreja Ortodoxa Copta) separaram-se das restantes igrejas cristãs por causa das suas características miafisistas. Este cisma perdura até agora. 

Igreja Católica Copta

Em 1741, um grupo de coptas, liderados por um bispo, separaram-se da Igreja Ortodoxa Copta, para poderem entrar em comunhão plena com a Igreja Católica. Este grupo deu por isso origem à Igreja Católica Copta, que tem a sua sede em Cairo. 

Igrejas Ortodoxas Etíope e Eritréia

Desde os primórdios da Igreja Ortodoxa Copta, a grande maioria dos cristãos etíopes e eritreus estavam sob a jurisdição do Papa da Igreja Copta.
No caso da Etiópia, desde o século IV até 1959, o Papa de Alexandria, como Patriarca de Toda a África, sempre indicou um egípcio (copta) para ser Abuna, ou Arcebispo da Igreja Etíope. Porém, em 1959, a Igreja Ortodoxa Etíope (que tem actualmente 40 a 45 milhões de fiéis) obteve finalmente o direito de ter o seu próprio Patriarca, tornando-se assim autocéfala e independente da Igreja Ortodoxa Copta.
Igreja Ortodoxa Eritréia (que tem atualmente cerca de 2,5 milhões de crentes) tornou-se também autocéfala e independente em 1998, com a consagração do primeiro Patriarca eritreu pelo Papa de Alexandria.
Embora as igrejas Copta, Etíope e Eritréia serem independentes umas das outras, elas estão ainda em comunhão total umas com as outras. Por isso, as igrejas Etíope e Eritréia reconhecem a supremacia honorária do Papa de Alexandria e, consequentemente, a necessidade dos seus respectivos Patriarcas, antes da sua entronização, de receberem a aprovação do Sínodo da Igreja Copta, que é a Igreja-Mãe das igrejas Etíope e Eritréia.

Igreja Copta atual
O número de cristãos fiéis à Igreja Copta é cerca de 16 milhões, estando distribuídos principalmente pelo Egipto (8 a 12 milhões). Mas, "todos os anos, milhares de coptas tornam-se muçulmanos apenas para, aparentemente, escaparem ao estatuto social inferior, ou para desposar uma mulher muçulmana, já que o Alcorão proíbe que muçulmanas se casem com judeus ou cristãos".
Os coptas celebram o Natal em 7 de Janeiro. Uma costume curioso da Igreja Copta é que, em muitas missas, ainda reza-se e lê-se em copta, a língua original do Antigo Egito. A Igreja é uma das poucas culturas que mantêm viva a língua egípcia original (ou copta), sendo que, com os vários atentados contra a Biblioteca de Alexandria e a influência de outras línguas (principalmente a grega) na antigüidade, a língua foi sendo esquecida aos poucos e, logo, tornou-se incompreensível. Porém, a Igreja Copta mantem viva a língua copta graças a seus ritos litúrgicos.

O Papa da Igreja Ortodoxa Copta de Alexandria
Papa da Igreja Ortodoxa Copta de Alexandria, ou Papa de Alexandria é o Sucessor de São Marcos e chefe da Igreja Ortodoxa Copta de Alexandria no Egito, que tem cerca de 16 milhões de membros em todo o mundo, incluindo cerca de 12 milhões de cristãos do Egito e outros 4 milhões expatriados na Diáspora. O último papa a ter o título foi o 117º Papa Shenouda III, falecido em 2012. O título completo é Papa de Alexandria e Patriarca de Apostólico de Toda a África sobre a Santa Sé de São Marcos. 

Bento XVI lamenta a morte do Papa Copta Shenouda III


Egípcios cristãos se reúnem em luto pela morte do Papa Shenouda III, do lado de fora da Catedral de Abassiya, no Cairo
Foto: REUTERS 

CIDADE DO VATICANO - O Papa Bento XVI disse neste domingo que a Igreja Católica compartilha a dor da Igreja Ortodoxa Copta pela a morte de seu patriarca, o Papa Shenouda III, falecido no sábado, aos 88 anos, e enviou uma mensagem de condolências ao Egito.
Shenouda III liderou a minoria cristã egípcia por mais de 40 anos, em meio a tensões crescentes com a maioria muçulmana. Bento XVI pediu maior proteção para os cerca de dez milhões de cristãos egípcios diante da recente onda de ataques de islâmicos fundamentalistas. Em seu discurso de domingo, Bento XVI ainda pediu orações pelo descanso de Shenouda III, um "servo fiel de Deus". O antecessor de Bento XVI, o Papa João Paulo II se reuniu com Shenouda III em 2000, durante sua viagem ao Cairo.
Milhares de cristãos se reuniram neste domingo, do lado de fora da Catedral de Abbasiya, no Cairo, para prestar suas últimas homenagens ao Papa Shenouda III, onde o corpo dele foi inicialmente colocado em um caixão e depois sentado sobre um trono cerimonial com vestes religiosas vermelhas e uma mitra dourada em sua cabeça.
O enterro de Shenouda III está previsto para ocorrer no mosteiro de Wadi Natrun, no noroeste do deserto do Cairo, para onde o Papa foi banido em 1981 pelo então presidente do Egito, Anwar Sadat, depois de criticar o modo como o governo estava lidando com as insurgências islâmicas na década de 1970.

19 de Março - Dia de São José


Padre Francisco encontra-se o dia todo na comunidade de Mirandas na ocasião do Dia de São José, padroeiro daquela localidade. Lá ele fará batizados, reunião, participará da procissão e presidirá a missa de encerramento da festa.

PROGRAMAÇÃO:

10h - Batizados;
16h - Procissão;
17h - Missa de Encerramento da Festa de São José.

19 de Março - Dia de São José

 

Ide Todos a São José”
19 de Março
“São José escolhido pelo Pai para ser o guarda fiel e providente dos seus dois maiores tesouros: O Filho de Deus e a Virgem Maria, e ele cumpriu com a máxima fidelidade sua missão. Eis porque o Senhor lhe disse: ‘Servo Bom e Fiel! ’ Vem participar da alegria do teu sonho”. (Mt 25,21) (Sermão de São Bernardino de Sena).
No livro Gênesis 42,25 vemos que José do Egito filho de Jacó, ordenado que se enchessem as sacas de trigo para saciar a fome de Israel... E provisões para o caminho de volta.
O Papa Leão XIII, na sua famosa encíclica de cinco de agosto de 1889, quando proclamou São José padroeiro da Igreja Universal fez a comparação entre estes dois grandes Josés dizendo: “Esses dois homens assemelham-se extraordinariamente, não apenas pelo nome, mas pelas virtudes e pelas suas vidas, ambas ricas em provações e alegrias”.

Quem foi São José!
Que o Messias havia de nascer da linhagem de Davi, era uma afirmação tão claramente expressa nos profetas que não havia qualquer hesitação a esse respeito. Portanto quando o anjo do Senhor aparece em sonhos a José, antes do nascimento de Cristo, dirigi-se a ele dando-lhe o seu titulo de nobreza: José filho de Davi... (Mt 1,20)
A genealogia de José é enfatizada tanto na narrativa de Mateus como na de Lucas. Em Mateus lemos que Jacó gerou José, esposo de Maria, da qual nasceu Jesus Cristo.
Pouco ou quase nada sabemos de sua vida, a não ser que era filho de Jacó e que sua mãe chamava-se Estha. Hegesipo, historiador no século II, que viveu na Palestina, afirmou que José era irmão de Alfeu (Cleófas).
Foi ele também que afirmou que Cleófas casou com Maria (Cleófas), uma das mulheres que estava aos pés da Cruz e que também era mãe de Tiago, José, Simão, Judas e de mais três moças. (Os ditos irmãos de Jesus – Primos).
Provavelmente São José nasceu em Nazaré, tanto na aldeia como nos arredores todos sabiam que ele era descendente do Rei Davi apesar de sua pobreza e humildade.
São José era, conforme os Apócrifos, um Faber Ignarius – Operário de Madeira ou carpinteiro.
São José foi o patriarca da transição do Antigo para o Novo Testamento. O Guardião Providente da Sagrada Família. José –“Aquele que acrescenta”.
José, O Justo, conforme as escrituras foi escolhido por Deus para ser esposo da Virgem Maria e o Pai adotivo do Messias.
Provavelmente o que mais chamou a atenção de Deus sobre José, foi à bondade e o silêncio. Enquanto, em sua carpintaria, manuseava as ferramentas com suas mãos habilidosas e calejadas, seu coração permanecia unido a Deus.
Deus propõe á José a maior de todas as dádivas, a mais importante missão confiada a um homem, e em compensação a maior glória no céu. Isto tudo tendo incontáveis provações.
José entende e de coração atende a Deus, e com toda a sua humildade e pobreza, acolhe Maria, A Virgem de Nazaré, casa-se com ela e com o suor de seu rosto provê o sustento daquele que ao mundo sustenta.
Seguem para Belém, e lá na terá do Rei Davi, o filho de Deus nasce e seus primeiros adoradores são Maria e José.
Em sonho José é avisado a fugir para o Egito, fogem de madrugada para salvar a esperança de um povo.
Retornam a Nazaré, e seguem o curso comum da história de pessoas aparentemente comuns.
São José ensinou Jesus a ser homem, a conhecer as letras, e a manusear com as ferramentas e as madeiras.
São José era a ternura de Deus-Pai, humanado.
É invocado como o patrono da Boa Morte, pois teve a mais privilegiada da humanidade. Tendo de um lado Jesus e de outro Maria e provavelmente recomendou a Jesus que cuidasse bem de sua Mãe!
A devoção a São José é antiquíssima, o Papa Clemente XI, compôs o oficio com os hinos para o dia 19 de Março.
Dizem que São José é quem confecciona os tronos da glória celeste e que depois são ornados com a Graça de Deus.
Santa Tereza de Jesus dizia: “Tomei a São José por meu advogado e protetor e não me lembro de ter-lhe pedido algo que não me atendesse... quisera persuadir o mundo inteiro a ser devoto deste glorioso Santo”.
Lembrai-Vos glorioso São José!
Amém. 

sexta-feira, 16 de março de 2012

COMUNICADO IMPORTANTE

 

Uma nova turma de Crisma está sendo formada na Paróquia. As aulas acontecerão aos sábados, no CIS (Centro de Inclusão Social), às 19h, e serão ministradas pelo Padre Francisco e pelo Ministro da Eucaristia André Santos. 

Segundo o Padre Francisco, as aulas terão início logo após a Semana Santa, provavelmente no sábado, dia 14 de Abril do corrente ano.

Para maiores informações procurem a Secretaria da Paróquia, ou ligarem para (84) 3337-2227.

O que é CRISMA?

 

A palavra “Cristo” significa “ungido” que quer dizer enviado, pois Cristo é o enviado do Pai para a nossa salvação. Nós somos chamados de cristãos porque somos seguidores do Cristo e enviados como Ele. A mesma origem tem a palavra “Crisma”. 

Crismar é o ato de ungir com óleo sagrado a fronte do crismando, que se torna também ungido, ou seja, enviado (CIC 1289).O sacramento da Confirmação é administrado logo após a profissão de fé dentro da Celebração Eucarística:
a) Primeiramente o bispo impõe as mãos sobre os crismandos e faz a invocação do Espírito Santo.
b) O segundo gesto sacramental é a unção com o óleo do Crisma. Cada crismando se aproxima e o bispo faz o sinal da cruz, na sua fronte, dizendo: “N… recebe, por este sinal, o Espírito Santo, o dom de Deus!” O crismando responde: “Amém!” O bispo ainda diz: “A paz esteja contigo!” o crismando responde: “E contigo também!”Os gestos e sinais sacramentais da Crisma são ricos de significados, presentes desde o Antigo Testamento, nos evangelhos e desde a Igreja Primitiva até os nossos dias.
c) Imposição das mãos. É um gesto de autoridade na qual se transmite uma responsabilidade dentro da Igreja. É o gesto bíblico pelo qual o dom do Espírito Santo é comunicado (cf. At 6,6-7; 8,14-17; 19,1-6).
b) Unção com óleo. O óleo usado pelo bispo é chamado “o crisma”*. É preparado com óleo de oliveira e bálsamo (que é perfumado) na Missa dos santos óleos, na Quinta-Feira Santa. Já no Evangelho notamos o gesto da unção (cf. Jo 12,3-7). A unção com óleo possui vários significados:
- O óleo, impregnando a fronte do crismando, significa que ele é impregnado pela força do Espírito Santo – somos “templos do Espírito Santo” (1Cor 3,16);
- O perfume do óleo usado na Crisma significa que o cristão deve “exalar o bom odor de Cristo”, ou seja, deve testemunhar Jesus Cristo, sem ser alguém malcheiroso no viver (cf. 2Cor 2,1416);
- Ser ungido é ser marcado com o selo, com o sinal da cruz, significando que o cristão pertence a Cristo (cf. Ef 1,13; 4,30);
- A unção é também sinal de consagração, pois o ungido é o enviado que deve realizar a missão de Cristo;
- Como os atletas e lutadores eram ungidos com óleo, o crismado deve ser atleta e soldado de Cristo;
- O óleo é ainda sinal de abundância, de alegria, de purificação, de cura, de fortalecimento e de reconforto (cf. Sl 133 ‘132’). Para aprofundar, confira: CIC 1288-1289; 1293-1301.

* É correto dizer “a Crisma”, referindo-se à unção, como também é correto falar “o Crisma”, 
referindo-se ao óleo santo.

quarta-feira, 14 de março de 2012

Igreja Católica e Secretaria de Saúde firmam parceria contra a dengue

Na manhã de ontem, terça-feira (13), a Vigilância à Saúde do Recife se encontrou com o arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido, para discutir estratégias que deverão ser utilizadas nas igrejas católicas e paróquias dos municípios para a sensibilização das comunidades. A reunião deverá acontecer às 10h30, no Palácio Episcopal São José dos Manguinhos, na Avenida Rui Barbosa.

A campanha nas igrejas deve durar seis meses - entre março e agosto - período de maior risco de propagação da enfermidade. O plano é que os padres, após as cerimônias, orientem a população sobre os cuidados com a saúde e como evitar a proliferação do mosquito. A Secretaria de Saúde também está atuando em igrejas evangélicas e fará encontros de conscientização com representantes de religiões de matrizes africanas.

Os interessados em saber mais sobre ações de combate à dengue podem ligar para a Ouvidoria Municipal de Saúde: 0800 281 1520. Os atendimentos são feitos de segunda a sexta-feira das 7h às 19h. 

SANTO DO DIA

Santa Matilde

14 de Março

Santa MatildeSanta Matilde foi educada numa nobre família junto a um mosteiro beneditino. Cresceu e casou-se com Henrique I, rei da Alemanha, mas manteve sua nobreza interior, não deixando influenciar-se pelo poder. Teve cinco filhos, e sempre como mãe humilde e orante, buscou ensinar aos filhos os caminhos da salvação eterna.

Matilde também foi mãe para o povo, para os pobres. Mulher cheia de compaixão que dentro das possibilidades ajudou e influenciou a muitos.

Com o falecimento de Henrique I, essa grande mulher de Deus disse aos filhos: "Gravai bem no vosso coração o temor de Deus. Ele é o Rei e Senhor verdadeiro, que dá poder e dignidade perecíveis. Feliz aquele que prepara sua eterna salvação".

Com a morte do marido, o seu calvário começou: foi traída pelos filhos, sob a falsa acusação de que estaria desperdiçando os bens com os pobres. Retirou-se para um convento e ali intercedeu pelos seus amados filhos, através da oração e sacrifícios.

Seus filhos então, tomaram consciência da injustiça que estavam cometendo. Com a conversão deles, teve mais facilidade para ajudar a muitos outros pobres. Em 968 partiu para o Reino dos céus, o Reino dos santos.

Santa Matilde, rogai por nós!

EVANGELHO DO DIA



Evangelho (Mateus 5, 17-19)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Não penseis que vim abolir a Lei e os Profetas”. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. Em verdade, eu vos digo: antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da lei, sem que tudo se cumpra.
Portanto, quem desobedecer a um só desses mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será considerado o menor no Reino dos Céus. Porém, quem os praticar e ensinar será considerado grande no Reino dos Céus.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.